h1

Lúpus eritematoso sistêmico em cães

novembro 11, 2009

cachorro

Lúpus eritematoso (LE) é doença auto-imune heterogênea, multissistêmica, caracterizada pela produção de auto-anticorpos contra vários constituintes celulares na qual freqüentemente observa-se acometimento de múltiplos órgãos e diversas formas de apresentação clínica (CAMARGO et al, 2005;LIMA et al, 2007; PRADO et al, 2007 FURTADO et al, 2001). De etiologia não totalmente esclarecida, o desenvolvimento da doença está ligado a predisposição genética e fatores ambientais, como luz ultravioleta e alguns medicamentos (LIMA et al 2007; BORBA et al 2008).

A fisiopatologia do LES caracteriza-se por formação de imunocomplexos constituídos por autoanticorpos e auto ou heteroantígenos que se depositam na parede de vasos de pequenos e médios calibres, em território da microcirculação. Estes, após a ativação do sistema de complemento, ativam os mediadores da inflamação, produzindo ao final um processo de vasculite leucocitoclástica, com freqüente necrose da parede vascular e dos tecidos por ela nutridos, gerando alterações estruturais e funcionais em vários órgãos ou sistemas, como o ósteo-articular e o renal (Furtado et al 2001).

O Lupus Eritematoso (LE) pode ser classificado em Lupus Eritematoso Sistêmico (LES) que é um distúrbio multissistêmico e Lupus Eritematoso Discóide (LED) que é uma forma benigna do LES limitada à pele. O LES é uma doença imunológica rara, que ocorre tanto nos cães como nos gatos (Geronymo, 2005)

O LES é uma doença está associada a diversas manifestações clínicas e laboratoriais, com uma evolução e prognóstico variáveis, embora na maioria dos casos a evolução da doença se caracterize por períodos de exacerbação e de quiescência relativa. Os achados histológicos do LED caracterizam-se por dermatite de interface e degeneração das células epidérmicas basais. As manifestações clínicas para o Lupus Eritematoso Sistêmico são claudicação, poliartrite, polimiosite, seções cutâneas, mal-estar, anorexia, fraqueza, piroxia, glomerulonefrite, úlceras orais e desordens neurológicas (Câmara, 2001).

O diagnóstico definitivo do LES ocorre pelo teste de anticorpo antinuclear (ANN) positivo ou teste celular para lúpus eritematoso ou ambos. Deve-se fazer diagnóstico diferencial de doenças neoplasicas. Quando o diagnóstico for positivo o hemograma demonstrará valores correspondentes a um processo inflamatório crônico e anemia regenerativa ou não-regenerativa. O prognóstico para LES depende do envolvimento orgânico e da gravidade das anormalidades hematológicas. O tratamento se faz necessário por toda vida, sendo que existem casos onde a evolução das lesões torna-se fatal (MondengO, 2007).

Nos casos de LES e LED deve-se evitar a exposição à luz solar intensa utilizando filtros solares tópicos e glicocorticóides tópicos e/ou sistêmicos (prednisolona). Estes últimos devem ser usados em altas doses até as lesões regredirem completamente e então, são lentamente reduzidas à menor dose que mantenha a doença em remissão. Em casos mais graves e refratários, outras drogas citotóxicas podem ser usadas como o clorambucil. Pode-se administrar ácidos graxos, vitamina E ou combinação com niacinamida e tetraciclina (GERONYMO, 2005).

Referências

 

Alceu Luiz Camargo Villela Berbert1 Sônia Antunes de Oliveira Mantese2. Lúpus eritematoso cutâneo- aspectos clínicos e laboratoriais. An Bras Dermatol. 2005;80(2):119-31

ALESSANDRA DE MOURA PALHA MONDEGO LÚPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO EM CÃES REVISÃO DE LITERATURA Trabalho monografico de conclusão de Especialisação em Medicina Veterinária , apresentado a USB como requisito parcial para obtenção de título de ecialização em Clínica Médica

ALINE DEFAVERI DO PRADO, CARINE ELISABETE ROST, MAURO W. KEISERMAN, HENRIQUE L. STAUB. Perfil clínico-laboratorial de pacientes do Ambulatório de Lupus Eritematoso Sistêmico do Hospital São Lucas da PUCRS Clinical and Laboratory Profile of Systemic Lupus Erythematosus outpatients from São Lucas Hospital. Scientia Medica, Porto Alegre, v. 17, n. 3, p. 168-170, jul./set. 2007

Álvaro Porto Alegre Furtado, Carlos Horácio Genro, Márcio Fleck da Silveira,

Marcelo de Abreu, Cristina Comiran, Roger Klein Moreira, Daniela Koppe,

Marlon Cesar Marconato, Juliana Zignani6 Radiol Bras 2001;34(1):59.61

DEHASSE, J.& Buyser, C. Comportamento e educação do cão. São Paulo, Livraria Varela, 1995
Eduardo Ferreira Borba(1), Luiz Carlos Latorre(2), João Carlos Tavares Brenol(3), Cristiane Kayser(4),Nilzio Antonio da Silva(5), Adriana Fontes Zimmermann(6), Paulo Madureira de Pádua(7),Lilian Tereza Lavras Costallat(8), Eloísa Bonfá(9), Emília Inoue Sato(10)Rev Bras Reumatol, v. 48, n.4, p. 196-207, jul/ago, 2008

Isabella Lima(1), Lúcio Barbosa(2), Mabel Lopes(2), Eliana Reis(2), Mitermayer Reis(2), Karina Colossi(3), Maurício Abreu(3), Clarissa Ferreira(3), Mittermayer Santiago(4) Pesquisa de Anticorpos Antinucleossoma em Lúpus Eritematoso SistêmicoDetection of Antinucleosome Antibodies in Systemic Lupus Erythematosus.Rev Bras Reumatol, v. 47, n.3, p. 160-164, mai/jun, 2007

Margarida Câmara, Isabel Pinho TavaresMarina Santos, Ludovina Paredes, RuiAbreu, Graça Ferrand, Merlinde Madureira. pus Eritematoso Sistémico– Revisão Casuística do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia. Medicina Interna 102 Vol. 8, N. 2, 2001

Viviane Vinkauskas Geronymo, Adriana Tofanin, Rogéria Maria Alves de Almeida, Andréa Rodrigues Barros Bol. Med. Vet.Ocorrência de Lúpus eritematoso em cães atendidos no hospital veterinário do centro regional universitário de Espírito Santo do Pinhal  no período de 1999 a 2003– UNIPINHAL – Espírito Santo do Pinhal – Bol. Med. Vet. – UNIPINHAL – Espírito Santo do Pinhal – SP, v. 01, n. 01, jan./dez. 2005

 

About these ads

32 comentários

  1. Boa noite Erika,
    Foi diagnosticado que minha cachorrinha Valentina esta com LES. Bem ,já há 3 meses tenho feito tratamento com corticóide e cefalexina,porém a lesão da pele dela não está melhorando, está cada vez pior. Ela está praticamente sendo tomada pela lesão. Existe algo para ser feito, além do uso do corticóide? Por favor,me ajude,estou desesperado! Obrigado.


  2. Boa noite dra,trabalho em uma casa onde tem um cachorra labradora linda, meiga, com um olhar muito triste. ela tem diagnostico de lupus e tem um odor muioto forte mesmo nos dias em que vem do pet shop quero muito ajudar mas como? como proceder, esta doença pega em humanos? ela é medicada com corticoide e tem uma veterinaria que acompanha desde de pequena,mas nos não temos acesso a informações de como proceder com ela e acho que os seus donos a abandonaram so pagam suas despesas com veterinario e pet e a deixam presa no canil.u gosto muito dela e como cogitam e doa-la eu gostaria de saber mais sobre a doença quem sabe eu não a adote
    por favor me ajude a ajudar esta cachorra tão carente.Grata
    Maria cristina


    • Você pode ler o Artigo sobre Lupus em cães e precisa levá-la periodicamente ao médico veterinário!


      • Olá Dra. Erika, meu labrador foi diagnosticado com Lupus Eritematoso Discoide e nao esta respondendo ao tratamento com predinisona e cefalexina, o estado dele esta ficando pior a cada dia, e o veterinario indicou um medicamento imunosupressor chamado Ciclosporina 100mg, porem só encontrei o medicamento em sao paulo e esta custando 375 reais uma caixa que no caso dele ira durar 15 dias apenas… se puder me ajudar a encontrar esse medicamento a um preço mais acessivel ficarei muito grato Dra. Pois meu cão esta cheio de feridas ao redor do corpo, e a cada dia fica pior. Agradeço desde já, Muito obrigado!


  3. Boa tarde.Minha cachorra esta com LÙPUS , Foi diagnosticado a 5dias .Ta fazendo tratamento com corticóide a 4dias mas parece que não esta fazendo diferença.Ela chora e fica repuxando as pernas e não para em lugar algum.Ainda é cedo para ver resultado?
    Ela pode morrer?
    A raça dela é pastor alemão.POr favor me ajuda!!!

    obriga.


    • Ainda é muito cedo para se estabelecer uma resposta certa…mas sempre que tiver dúvida sobre o caso pergunte ao médico veterinário responsável pelo caso!


  4. Dra. Erika, Boa tarde!!

    Tenho um cão boxer de 9 anos, nos últimos dois anos tem aparecido feridas pelo corpo dele que um veterinário indicou o uso de corticoíde frequente com uma diminuição da dosagem conforme o controle. Porém nos últimos seis meses as feridas aumentaram atacando o fucinho dele. Um outro veterinário disse que poderia ser lupus mas não conseguiu dar um diagnostico com 100% de certeza. E ele tem sofrido muito pois há dias que ele acorda com as patas inchadas, como hoje. Você pode me ajudar por favor?

    Andreza


  5. OLA DRA MINHA CACHORA ESTA INTERNADA COM LUPUS. EM DECORRNCIA DA DOENÇA ELA ESTA COM ANEMIA ISSO É NORMAL


    • Olá Viviane. A anemia realmente é um achado muito comum nos casos de lúpus em cães.


  6. ola dra, estou com duvida sobre alimentação cachorro que tem lupus, posso dar alimento de filhote? tem algum alimento indicado? muito obrigado por voces existirem…


    • Que gentil seu comentário! Olha, quanto á alimentação a recomendação é a mesma para qualquer cão. Alimento de filhote é para filhote, de adullto é para adulto, assim como alimentos para cães idosos é para os que possuem idade acima de 7 anos. Só em alguns casos especiais, por exemplo, quando existe o comprometimento articular, existem algumas rações específicas e que auxiliam no tratamento desses problemas.


  7. Sou mãe de um casal de gatos_Ele:bill Clinton,Ela:Hillary Clinton…São da raça Persa,lindos de mais…Sou apaixonada,são como gente e me trazem mtas alegrias,sem Eles… … …


  8. bom dia Doutora, tenho um SRD com diagnóstico de Lúpus, o tratamento está sendo feito com homeopatia, mas com a chegada do frio a lesão nasal piorou e não está cedendo. a médica não quer usar medicamento alopático, antes de consultar outro veterinário gostaria de saber se existe ou antinflamatório menos ruim que o corticóide ou se esta é mesmo a unica forma de tratamento ortodoxo. agradeço desde já.


    • Sou mãe de uma Rotweiller, já consultei 10 veterinários, inclusive universidades federais e particulares. Ela sofre a 3 meses, a única coisa que ajuda muito são os autocorticóides. Mas tente florais, e auto hemoterapia. Estou usando, mas o tratamento esta no inicio, pelo menos parou de piorar . o que já é muito bom. Esta bem mais animada. Alguns vetrinários dizem que dá resultado. Vale a pena tentar.


    • Nós temos um PUG no qual foi diagnosticado dermatite de interface, ou seja lupus. Ele tem 7 anos e, em maio, completará 2 anos de tratamento com corticóide e antibiótico (que estão espaçados para 10 em 10 dias, mais o sigmasporin, que toma de 5 em 5 dias).. Realmente, há fases nas quais as erupções aparecem de repente, do nada, mas diante de tudo que li a respeito dos efeitos e reações aos remédios, estou considerando-o muito bem. Não consigo imaginar “o pior” acontecendo a ele, até porque acredito muito em DEUS e, como ele é um ser vivo, criado por Ele, tenho certeza que um milagre esta se fazendo na vidinha do meu bichinho. Torço muito para que vocês também encontrem um caminho para tratar dos seus filhotinhos.

      .


  9. Pessoal, lupus é uma doença muito grave!!!! Depois da morte da minha cachorra Tita por esta doença tenho lidoa alguns artigos e não vejo que donos e veterinários deem a devida importância a esta doença, ela mata.
    Minha Tita começou com o sintoma das petéquias (que são as manchas nas pele), apresentou dores articulares, dores nos dedinhos (eu até estranhava o fato dela gritar quando cortava as unhas com todo o cuidado), e seu hemograma foi ficando cada vez pior, ele teve convulsão, entrou em choque, fez transfusão sanguínea, mas por ser muito forte e eu estar atenta 24hs por dia (já quase nem dormia) ela melhorou e saiu da crise. 3 meses depois o hemograma (que era repetido semanalmente) piorou de uma hora para outra, o organismo dela não respondia mais ao tratamento (já estava tratando por 2 anos) e em 8 dias ela morreu.
    Eu quase morri junto, pois ela era minha filha, e hoje ainda não consigo acreditar que essa doença possa er levado minha menina.
    Pessoal cuidem de seus filhotes, essa doença é grave e mata.


    • meus sentimentos..
      eu tenho uma labradora com o mesmo problema, e estou com medo que ela nao aguente pois ela só tem 6 meses, tem dia que nem comer muito ela quer, mais o bom que nao deixa de comer nao, mais mesmo assim estou com medo pelo fato de ser muitos remedios e pela idade to com medo dela nao aguentar,


  10. BOm dia, tenho um york de 11 anos que foi diagnosticado acerca de 3 meses com lupus eitomastose discoide. o tratamento foi com a medicação v cristine (acho que é assim que se escreve), em duas etapas e corticóide (metacortem). O nariz diminuiu e aparesenta melhoras, contudo, após 2 semanas do tratamento quando inciaria a ciclosporia, ele apresentou incontinecia urinaria e perda (pouca) do apetite. Estou aguardando amanhecer o dia para levá-lo na veterinária que faz o tratamento. Realmente não sei o que fazer e recorri a esse veículo para obter ajuda ou alguma orientação. Desde já muiiitoo agradecida. Carla Rosa – Aracaju-SE


  11. Dra. boa noite, Renta e estou no 5º ano de medicina Veterinária e estou escrevendo minha monografia sobre Lupus eritematoso discoide em cães. Comprei alguns livros são caros e tras poucos sobre o assunto específico. Na biblioteca da minha Faculdade também está em falta. Minha orientadora me ajuda mas também encontra pouca coisa especificamente. Dei uma olha em seu Blog, e vi um artigo bem como alguma referência, observei uma Dra. que escreveu sobre o assunto a Dra.
    ALESSANDRA DE MOURA PALHA MONDEGO. Seria possível a Sra conseguir pra mim mais alguma coisa que possa me ajudar? ou o email da Dra. Alessandra. Fico grata e farei menções na monografia sobre os autortes. e artigos . Poderia me ajuadar Dra. ?
    Agradeço Renata.


  12. Dra. boa noite, Renta e estou no 5º ano de medicina Veterinária e estou escrevendo minha monografia sobre Lupus eritematoso discoide em cães. Comprei alguns livros são caros e tras poucos sobre o assunto específico. Na biblioteca da minha Faculdade também está em falta. Minha orientadora me ajuda mas também encontra pouca coisa especificamente. Dei uma olha em seu Blog, e vi um artigo bem como alguma referência, observei uma Dra. que escreveu sobre o assunto a Dra.
    ALESSANDRA DE MOURA PALHA MONDEGO. Seria possível a Sra conseguir pra mim mais alguma coisa que possa me ajudar? ou o email da Dra. Alessandra. Fico grata e farei menções na monografia sobre os autortes. e artigos . Poderia me ajuadar Dra. ?
    Agradeço Renata.


    • Me desculpe, hoje que fui achar seu comentário. Espero que sua monografia tenha sido um sucesso, desculpe.


  13. Tenho um shih tzu que foi diagnosticado com doença auto imune (Lùpus) vem tratando com pednisona mas só com essa medicação os hematocritos caem consideravelmente.
    Fez tratamento junto com myfortic mas tbem não teve resultado esperado, o que resolveu foi o Arava com essa medicação os exames de sangue dele é de um cãe saudavel. Mas infelizmente a medicação tbem é muito caro R$ 380,00 encontrei por R$303,00 na drogaria Onofre. Tem dias que vai bem outros não, Mas esses bichichos são parte de nossa familia nos dão tanta alegria que vale a pena o esforço.


  14. Bom dia Dra. Érica.
    Tenho um cachorro lindo que amo muito, completará 5 anos em novembro. Sempre fui muito cuidadosa com ele quanto a higiene, vacinas, alimentação..infelizmente ha um ano ele começou a apresentar lesões no nariz e após muitos exames foi diagnosticado o lúpus eritematoso. Fez uso de prednisona e as lesões sumirão, ele é acompanhado por uma vet.dermatologista. Infelizmente após a suspensão da medicação ele apresentou convulsões,e agora está sendo acompanhado tb por um vet.neurologista. Está usando fenobarbital e parece que vai voltar a usar a medicação para o lúpus, pois a lesão do nariz está voltando.Tem algo na literatura q relacione o lúpus com convulsões???Estou muito preocupada pois amo muito o Luck.


  15. Tenho um pequines de 1 ano e 6 meses, diagnosticado com lupus, doença renal e artrose aos 3 meses de vida. Com 6 meses de vida ele começou um tratamento chamado hemoterapia e tem tido excelentes resuldos. Qual a sua opinião sobre este tratamento?


    • Não tenho experiência com esse método terapêutico, depois se possível relate se houve melhora do quadro do seu animalzinho.


  16. Olá Dra Érica
    Tenho uma vira lata que eu resgatei da rua há 2 anos aproximadamente,há um ano atrás reparei que ela dava lesões no olho, levei ao veterinário e foi feito uma biopsia e descobrimos que ela tem lúpus só que eu não sei qual o tipo de lúpus que ela tem, hoje ela toma corticoide de 20 mg se eu abaixar a dose as feridas voltam,ela nunca teve nada apenas feridas e engordou muito,o que devo fazer para descobrir o tipo de lúpus e se esta tudo bem com ela, quais exames devem ser feitos?
    Att Julyanna R B


  17. Olá Dra Érica
    Tenho uma vira lata que eu resgatei da rua há 2 anos, aproximadamente há um ano atrás reparei que ela dava lesões no olho, levei ao veterinário e foi feito uma biopsia e descobrimos que ela tem lúpus só que eu não sei qual o tipo de lúpus que ela tem, hoje ela toma corticoide de 20 mg se eu baixar a dose as feridas voltam,ela nunca teve nada apenas feridas e engordou muito,o que devo fazer para descobrir o tipo de lúpus e se esta tudo bem com ela, quais exames devem ser feitos?
    Att Julyanna R B


    • Esse animal deve ser acompanhado com o médico veterinário a cada 6 meses. Vários exames podem ser realizados, mas com base na clínica e sinais.


  18. Meu cachorro de 6 anos está com suspeita de lupus e não sei que tipos de exames posso fazer para confirmar, Na minha cidade não há bons laboratórios e ele está dispigmentando a cada dia e já perdeu uma vista…Onde posso fazer a biópsia para confirmar ou excluir a doença? Está fazendo tratamento com 10 mg de meticortem. É um cachorro cruza de maltês com lhasa de 5 kg. ( agora mais por conta dos corticóides).
    O Veterinário é bom, mas na cidade não temos muitos recursos. Alguém poderia indicar algum lugar próximo a São Carlos, Ribeirão Preto ou Campinas?

    Aguando sua resposta pois já estou desesperada de medo dele não receber o tratamento necessário.

    Obrigada


    • Minha veterinaria pediu para um laboratorio de sao paulo mandar o tubo de coleta via sedex e a amostra tambem foi via sedex.


  19. Boa tarde, eu tenho uma labradora que tem lupos, ela só tem 6 meses, essa doença foi desenvolvida com ela tinha 3 pra 4 meses, ela ficou mto mal, ainda estao mais com o os remeidos ela melhorou bastate, ela ficou sem pelo nenhum, deu muitos machucados ate minava agua deles, ela nao vai crescer mais, esta super pequena por causa dos remedios que atrapalharam o desenvolvimentos das articulaçoes, infelizmente, mais hoje ta crescendo os pelos tudo novamente e ela esta ficando bem melhor,
    uma dia e sempre dar todos os remedios na hr certa assim fica muito mais controlado, dar bastante carinho, e sempre ter muito cuidados ate em pegar fazer ela andar muito etc. a minha Mel esta cada dia melhor e ela vai vencer isso


  20. Com apenas 4 meses de vida descobrimos que o Thor tinha lupus, a veterinaria entrou em contato com um laboratorio que fazia o exame e eles enviaram um tubo de coleta especial via sedex. Apos o exame disseram que ele nao passaria dos 6 meses, mas gracas a hemoterapia feita toda semana, o Thor vai fazer 3 anos com muita saude. A veterinaria dele esta fazendo um estudo do caso, pq este metodo esta ainda em estudo, nos topamos usar o Thor como cobaia e gracas a Deus deu certo.



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 2.453 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: